Conheça o involution, álbum de lançamento da banda Primator

Via: Som do Darma
(Press Release)

A cidade de São Paulo é um dos principais celeiros em termos de heavy metal no Brasil. Se não bastasse os grandes nomes que são originários da cidade, como: Angra, Korzus, Viper, Dr. Sin e Noturnall, também podemos dizer que bandas como Sepultura e Krisiun tornaram-se mundialmente reconhecidos depois de se mudarem para a capital paulista.

O Primator é o mais novo nome do heavy metal paulistano. Com seis anos de estrada, a banda já é bastante conhecia nas noites de São Paulo pelos vários shows já realizados nos principais bares de rock da cidade como Manifesto, Blackmore, Gillan’s Inn, entre outros.

Depois de uma grande temporada de ensaios, shows e pré-produções,  atingiu o nível técnico e criativo que julgavam ideal para se trancar no estúdio e começar a gravar o seu álbum de estréia, “Involution”.

Com produção de Daniel de Sá, “Involution” foi gravado no Estúdio GR, localizado na Zona Norte de São Paulo, e reúne 10 faixas do mais puro heavy metal tradicional.

Diferentemente de outras bandas de metal clássico que resgatam, musical e esteticamente, o que foi feito nos anos 80, o Primator prioriza a identidade e contemporaneidade de sua arte.

“Estamos em 2015 e não em 1985”, declara o vocalista Rodrigo Sinopoli. “Nós somos uma banda de heavy metal que prioriza a autenticidade. Fazemos uma releitura do que de melhor foi feito antes de nós em termos de música pesada, mais especificamente nos anos 80 e 90, mas de forma a criar um conceito musical diferente, em sintonia com a individualidade de cada componente. Com o passar do tempo, desenvolvemos uma certa versatilidade para implementar alguns elementos mais contemporâneos e deixamos de lado tudo o que, ao nosso ver, estava sobrando, especialmente em termos estéticos”.

Foi com esse espírito que as composições de “Involution” começaram a surgir. Na verdade, faixas como “Deadland” e “Praying For Nothing” são composições de cinco anos atrás, enquanto “Caroline” e “Face The Death” foram finalizadas dentro do estúdio.

“Algumas das músicas de ‘Involution’ também apareceram em versões diferentes na Demo/EP que lançamos em 2012”, explica Rodrigo. “Outras eram ideias antigas que foram readaptadas, como é o caso de “Black Tormentor”. Já a faixa-título foi uma das mais recentes e, de longe, a mais demorada, já que ela traz toda a essência do álbum”.

Apesar da diferença de tempo entre uma faixa e outra, Rodrigo diz que o processo de composição de “Involution” seguiu um padrão democrático do início ao fim.

“O processo sempre começou com a letra e melodia, então decidimos qual a entonação devemos dar à música e partimos para as estruturas. Todas as letras do “Involution” foram
escritas por mim e as músicas foram feitas pela banda toda, onde cada um foi responsável por suas linhas instrumentais. Claro que algumas faixas têm maior participação criativa de um ou outro, mas no geral não fazemos nada sem a aprovação de todos”.

Da pré-produção à mixagem e masterização, “Involution” levou um ano pra ficar pronto. “Com exceção das músicas que estavam prontas, todas as demais foram gravadas uma a uma. Conforme ficavam prontas, entravamos em estúdio e gravávamos. Demos os toques finais em algumas dentro do estúdio mesmo, com ajuda do Daniel de Sá que, apesar de ter atuado mais como engenheiro, não deixou de opinar sobre estruturas e arranjos”.

“Involution” traz um conceito bastante inspirado em “A Origem das Espécies” de Charles Darwin e em outros pensadores da filosofia e da psicanálise. Segundo Rodrigo, o álbum pode ser considerado uma “observação da atual condição humana”:

“Sempre protegido por sua certeza, o ser humano precisa destruir para construir e subjugar os mais fracos para obter sucesso. Nós, então, traçamos um paralelo entre o que realmente é a evolução, a posição da raça humana na escala evolutiva e a percepção de que a busca pelas coisas mais simples pode ser o segredo para a felicidade. Nossa ideia é que precisamos dar um passo atrás e repensar novamente nosso caminho”.

Desenhada pelo próprio Rodrigo Sinopoli, a capa de “Involution” reflete diretamente o tema central do álbum.
“Tentamos reproduzir a escala evolutiva, vista de trás para frente, colocando o observador como parte da ilustração. Trata-se da nossa escala ‘involutiva’. Na arte, o homem e seus ideais destrutivos foram esmagados pelo ‘Primator’ – uma entidade bestial – enquanto os outros retrocedem em direção oposta, em busca de redenção e uma nova oportunidade de consertar tudo o que deu errado. A responsabilidade em assumir esta mudança é justamente minha, sua e de quem se encontrar de frente com a ilustração”.

Essa entidade bestial da capa é tão representativa que, além de levar o nome Primator,também pode ser considerado um mascote da banda. É o que garante Rodrigo: ”Esse monstro Primator foi nascido das chamas e é caçador de tudo e todos. Frio e sem piedade, é um símbolo de justiça desenfreada que o mundo precisa, numa forma bem radical
de se pensar. Eu poderia dizer que ele representa tão bem a banda que deverá estampar as capas dos nossos próximos álbuns. Estamos até pensando em colocá-lo conosco no palco”.

De acordo com Darwin: “as espécies descendem de algum ser no qual a vida surgiu antes”. O Primator orgulha-se de seus predecessores no heavy metal, mas sua mensagem com “Involution” é bem direta: não caminharemos nem à frente ou atrás de nossos mestres, mas lado a lado.

TRACKLIST
1- Primator
2- Deadland
3- Flames of Hades
4- Caroline
5- Black Tormentor
6- Let Me Live Again
7- Face The Death
8- Erase The Rainbow
9- Praying for Nothing
10- Involution

FORMAÇÃO:
Rodrigo Sinopoli (vocal)
Márcio Dassié (guitarra)
Diego Lima (guitarra)
André dos Anjos (baixo)
Alexandre Birão (bateria)

DISCOGRAFIA:
Involution (2015)

ENDEREÇOS OFICIAIS NA INTERNET:
http://www.soundcloud.com/bandaprimator
http://www.bandaprimator.com.br
http://www.facebook.com/bandaprimator
http://www.twitter.com/primatormetal

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s